segunda-feira, 9 de março de 2009

Mala de menos de 20kg para seis meses: missão impossível?

Quando, felizes e contentes, compramos uma passagem para destinos dentro da Europa, sempre temos que considerar um triste detalhe: voo com origem e destino neste continente é considerado voo doméstico.
Ou seja, 20 kg de bagagem despachada por pessoa.
Ou seja, vixi...
Calma! Impossível, impossível, não é – já fiz uma vez com 16kg e sobrevivi, ainda que na volta tenha somado 52kg (metade papel, juro!). O problema é que desta vez tem um agravante: no meio do caminho havia um cruzeiro, havia um cruzeiro no meio do caminho. Isso quer dizer que terão que ser incluídos vestidos e saltos que normalmente ficariam de fora de uma mala européia...
Considerando que minha mala sozinha pesa entre 5 e 6kg... eis um problema.

Meu objetivo agora é fazer uma mala de 18kg (deixo um espacinho para eventuais compras até que eu encare o primeiro vôo dentro da Europa) – será que eu consigo?
Prometo contar no que vai dar essa missão quase impossível...
Ah, quem tiver dicas para uma mala mais levinha: seja bem-vindo!

4 comentários:

Margarida Nobre disse...

Bom uma vez que vc vem para cá no Verão a roupa é mais levezinha!!
O melhor é comprar uma mala ultra-light...tem umas novas agora...eu já fui ver algumas numa loja e realmente pesam metade do normal!
Eu tenho sempre esse problema ainda mais grave porque viajo quase sempre low-cost e essas companhias são super inflexiveis em matéria de peso a mais!
Uma altura em Paris o que valeu foi que o funcionário do check-in no aeroporto era filho de Portugueses e foi bonzinho...senão eu pagaria por excesso de carga mais do que me tinha custado o bilhete...hehehe

Beijo

Mari Campos disse...

Ba, eu já estou quase convencida que é praticamente impossível - haja desapego das coisas. E o cruzeiro é mesmo um agravante sério: não pode ir jantar de jeans e blusinha, então...
Fazer uma mala de 12, 13kg para passar 15 dias fora é a coisa mais normal do mundo. E daí a gente pensa: "ah, mas se precisar de alguma coisa, compra lá!" Mas passar seis, oito, dez meses com só isso é dose, né? Daí, convenhamos, não há dindim brazuca que sobreviva a "comprar o que precisar". O negócio vai ser, tristemente, deixar muita coisa querida por aqui mesmo.

Bá Conti disse...

Meninas,

Eu espero encontrar um funcionário bonzinho... Fiz a mala e parece tão pesada!
Vou tentar pesar no fds... posto quando tiver novidades! rs

beijocas

carolwieser disse...

vixi!!! missão quase impossível para uma mulher... mala pequena e leve??? hahaha.

Boa sorte menina, pois nessa não posso ajudar, pois nem a minha consigo esvaziar...

Beijos