sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Madri tem o maior bookcrossing da história

Fonte da imagem: www.flikr.com

Um imenso bookcrossing mobilizou a capital espanhola ontem, 14 de novembro. O evento, pra quem ainda não conhece, tem como objetivo estimular a leitura entre a população, e funciona da seguinte forma: voluntários distribuirão livros por diversos pontos de grande circulação da cidade (parques, praças, ônibus, vagões e estações de metrô etc), que poderão ser recolhidos e lidos por quem quiser. Depois de lê-lo, o participante deve voltar a colocar o exemplar em um local em que possa ser encontrado e lido por outra pessoa, e assim sucessivamente.
Esta edição de 2010 também buscava captar recursos para implementação de um programa de apoio à inserção ao mercado de trabalho de jovens em risco de exclusão social, que era feito da seguinte maneira: cada livro participante contém um código, através do qual poderia ser registrado na página do projeto; os três primeiros registros de cada livro correspondem a doações que a empresa cervejeira Mahou.  
Neste ano, graças à parceria da prefeitura de Madri com nove editoras, 600 voluntários distribuíram 30 mil livros, convertendo-se assim no maior book-crossing da história da cidade.
Outras informações podem ser obtidas no site do projeto: www.bookcrossing.es

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Pé na estrada - Diário Dez

No início deste mês, o Diário de S. Paulo entrevistou mulheres que resolveram jogar tudo pro alto e sair pelo mundo em um ano sabático. A entrevista, publicada na revista Diário Dez (e matéria de capa), contou com as experiências vividas por Carol Wieser, Cecília Gontijo, Marcela Centofanti e até mesmo esta Publicitária & Viajante que vos fala!
Com arquivos deliberadamente surrupiados da colega blogueira e mamãe-do-ano Carol Wieser (valeu!), reproduzo aqui a entrevista página por página - basta clicar em cada imagem para que elas aumentem.
Quem preferir pode ler a versão resumida disponível site do jornal clicando aqui.


segunda-feira, 25 de outubro de 2010

18ª Feria Municipal del Libro Antiguo y de Ocasión

Para quem, como eu, acha que cultura pouca é bobagem: além de ser um eterno museu a céu aberto, de sempre em sempre a cidade espanhola de Salamanca oferece novas oportunidades de enriquecer nosso repertório cultural. A bola da vez é a 18ª Feria Municipal del Libro Antiguo y de Ocasión, que estará hospedada na Plaza Mayor da cidade de 23 a de outubro a 7 de novembro.
Participam do evento vinte livrarias de todo o país (somente cinco da própria cidade), que prometem ofertas para quem quiser renovar o estoque de obras e procurar pequenas relíquias escritas. Além disso, o evento conta com um amplo programa de atividades culturais, incluindo treze apresentações musicais, três teatrais, exposição de fotografias e ciclo de conferências sobre o papel do livreiro de obras antigas.
As livrarias estarão abertas ao público diariamente das 11 às 14h e das 17h30 às 21h (cada período se prolonga por meia hora aos finais de semana e feriados).
Não perca!
Veja mais detalhes da programação aqui.

sábado, 2 de outubro de 2010

Kronika Donostiarra (ou "Causo de San Sebastián")

Era sábado à noite, e éramos um casal despreocupado passeando pelas ruas do centro de San Sebastián e exercitando um dos esportes mais espanhóis: "ir de pintxos", ou seja, ir de bar em bar tomando uma bebida e uma comidinha. Os pintxos da cidade são muito famosos, e não sem motivo: com ingredientes dignos de um restaurante nouvelle cuisine e um mais lindo que o outro, deixam qualquer um com água na boca só de olhar.
Mas, como ali a beleza é diretamente proporcional ao preço, depois de uns dois pintxitos já passamos a seguir a nossa rota gastronômica passou a ser somente enófila, já que os "chikitos" (doses de vinho jovem servidas em copos de boca larga, típicos de sidra, por exemplo) custavam baratinho, entre €0,50 e €1,00 (normalmente, primeiro valor se vão com a sua cara, o segundo se não - como nunca tem cardápio de bebida e ninguém pergunta antes de pedir, você só descobre na hora de pagar - mas ainda assim, continua sendo barato). Na verdade, eu que nunca me senti menosprezada por ser gringa, ali me sentia um pouco não por não não ser espanhola, mas por não ser basca, como contei aqui - mas nada que me fizesse perder a noite, claro. 
Quando você decide passear de bar em bar em uma cidade desconhecida, normalmente o critério de decisão de onde entrar ou não é a cara do bar; no nosso caso, buscávamos lugares que parecessem simples (se é só pra tomar um vinhozinho, não tem problema ser biboca, né?) e pouco turistóides. 
Minha vez de escolher, olho um barzinho cheio de gente com pinta de desencanada. "Vamos!"
Entramos. 
Gelei.
O que o de fora era um bar cheio de gente (inclusive duas famílias sentadas em mesas), visto de dentro, era o lugar mais pró-independência basca que eu já tinha visto na vida. Absolutamente tudo escrito em euskera e  paredes cheias de cartazes independentistas; acima do balcão, uma série de fotos tamanho A4 de rostos com os olhos tapados por um retângulo negro; ao lado do garçom, um enorme pote de vidro para arrecadação de colaborações para, dentro da minha compreensão totalmente limitada de basco, "liberação de companheiros presos".
Como sair parecia pior do que atuar normalmente, fomos para o balcão e pedimos dois vinhos tintos. Primeiro gole, pego um guardanapo, que ao invés do tradicional "esquerrik asko" ("muito obrigado") leva estampado um mapa dessa região autônoma espanhola com setas indicando o interior, seguidos pela frase "maite zaituztegu" ("amamos vocês", em basco, muitas vezes usado como expressão de apoio aos extremistas). Discretamente, peguei alguns e guardei na bolsa, como souvenir. Falando em souvenir, na prateleira à minha frente, todo tipo de produtos à venda com slogans nacionalistas bascos, bandeiras, bonés, canecas, adesivos... 
"Ai que vontade de tirar uma foto!", suspirei.
"Nem pensar! Depois você que procure na internet. Termina esse vinho e vamos!", respondeu meu namorado entre dentes.
Pagamos os dois euros devidos, saímos. Olhei a fachada do bar, tentando guardar na memória - ainda estava sendo olhada demais para tirar uma foto. 
Sim, existe outro país no norte da Espanha, e o nome dele é Donostia, ou País Basco. A comida é ótima e as cidades são lindas, mas o nacionalismo extremado, visto de perto, dá medo.


P.S.:
Há algumas semanas, o ETA, organização separatista basca, veio a público com uma vídeo-mensagem em que, debaixo dos tradicionais capuzes, afirmavam estar em um período de suspensão das ações armadas; no domingo passado, foi divulgada uma carta enviada pelos mesmos aos signatários da Declaração de Bruxelas, afirmando estarem dispostos s "estudar juntos" medidas que poderiam ser adotadas para alcançar a democracia na região.    Infelizmente, não parece digno de credibilidade - apenas uma tentativa de ganhar abertura política em um período pré-eleitoral, principalmente por não fazer nenhuma referência prática a um verdadeiro cessar-fogo -  as palavras foram totalmente desmentidas quando a polícia espanhola encontrou material de treinamento em armas de fogo para membros da organização.
Até quando, Euskadi? Somos todos feitos da mesma carne e sangue.


Paz.



quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Madri tem wifi grátis em ônibus urbanos



Fonte da imagem: buswifi.com

Boa notícia para os ciberturistas que visitem Madri: agora poderão aproveitar o tempo gasto no transporte público para usar a internet. E de graça!

A capital espanhola é a primeira cidade do mundo a oferecer conexão wifi grátis nos ônibus públicos. Ou seja, a partir de agora, todo passageiro que viaje com seu notebook, PDA ou smartphone poderá utilizar o tempo para conectar-se de graça, complementando a rede de pontos de conexão gratuita espalhados pelas ruas da cidade.
A iniciativa é uma parceria entre a Empresa Municipal de Transportes (EMT) e a empresa de telecomunicações GOWEX e teve seu lançamento na "Semana Européia da Mobilidade 2010" (16 a 22 de setembro), cujo lema foi “Viaja más inteligente. Vive mejor”. Atualmente 60% da frota de ônibus da cidade foi equipada com esse sistema (que pode ser identificado pelo adesivo "wifi gratis").
A parceria também oferece a buswifi.com, portal que oferece informações atualizadas sobre a EMT madrilenha, previsão do tempo, dados do tráfico, além de um mapa com todos os pontos de wifi gratuita na cidade.
Para o viajante, é mais do que uma mão na roda: é ter acesso sem limites a todas as informações turísticas que necessite, reserva de hotéis, compra de passagens etc - sem falar da facilidade de se manter sempre em contato com família e amigos.
¡Enhorabuena, Madrid! 
Tomara que muitas outras cidades se sintam estimuladas a adotar a mesma medida!

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

FOTOLOG: Ferias y Fiestas - Salamanca 2010

Alguns dos muitos eventos destas festas salmantinas:

Show do Miguel Poveda

Apresentação do Grupo de Bailes Charros Tradicional de Villamayor

Show do Mayalde

Performance da Cia. La Tal: Flexus

Show da Marta Sánchez

Performance do Circopitanga: Sueños de Verano

Apresentação do Spasmo Teatro & de Little Band

Mercadillo Medieval

Mercadillo Medieval: stand

Show do Manuel Carrasco

Pincho da caseta do bar Copa Viga: carne de toro

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Ferias y Fiestas - Salamanca 2010

Show da Marta Sánchez na Plaza Mayor no último sábado.


Como postado anteriormente no facebook no mês passado (ver link aqui), hoje termina a edição 2010 das sempre adoráveis Ferias y Fiestas de Salamanca, uma série de eventos que celebra o dia da padroeira da cidade, "la Virgen de la Vega", neste ano celebrada de 7 a 15/09.
Como sempre, neste 9 dias a cidade ganhou versões ambulantes de seus principais bares oferecendo um pincho especial + bebida por €1,80 (além de outros por outros valores), competições esportivas, exposições artístico-culturais, apresentações de artes de rua fixas ou itinerantes (teatro, mágica, humor, artes circenses etc) e shows musicais diários na sua internacionalmente famosa Plaza Mayor.
Os eventos contaram com uma grande participação, lotando as ruas da cidade de moradores e visitantes durante todo o dia (e noite, e madrugada...).
Além de outros eventos, hoje acontece o último show na plaza, uma apresentação do cantor Manuel Carrasco. 
Neste último dia, fica o gostinho de quero mais - e a expectativa de que as festas sejam ainda melhores em 2011!

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

O cúmulo das rebajas

Só pra deixar vocês com vontade - etiqueta de uma blusa comprada durante as rebajas de julho/agosto aqui na Espanha.
Pode??
Obs.: Preço original no topo, de ponta-cabeça.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

E elas chegam ao fim - balanço das rebajas espanholas 2010


Na Espanha, todo mundo tem duas oportunidades para exercitar, sem culpa, seus impulsos consumistas: as rebajas!

Essas famosas liquidações espanholas, realizadas em janeiro/fevereiro e julho/agosto, atingem proporções muito, mas MUITO mais interessantes que as similares brazucas. Por quê? A razão é que os descontos oferecidos nos períodos de dois meses de liquidação começam nos 10%, mas com frequência atingem os 70%, podendo até chegar aos 95% (experiência comprovada por esta mesma blogueira que vos escreve).
Os descontos são graduais, normalmente passando pelas fases "rebajas", "2ªs rebajas" e "precio final" - mas tem loja que muda os preços e coloca mercadorias novas toda semana. O que significa que, se você compra no começo da liquidação, pode pagar um pouquinho mais caro do que a mercadoria custaria nas semanas seguintes (ainda que bem mais barato que o preço original), mas se não comprar corre o risco de ficar sem o produto.
Nesta liquidação de verão, os lojistas reclamaram que tiveram que vender mais do que nas versões passadas, a preços mais reduzidos, para alcançar a mesma arrecadação, mas parece que não vão ter muito do que reclamar. Lojas lotadas e filas nos caixas representam não só quem quer aproveitar os preços em conta, mas quem também não resiste à coceirinha e acaba adquirindo também produtos da coleção nova, que já ficam expostos desde o início das rebajas.
Tradicionalmente, as melhores barbadas estão na H&M e na Zara, com jeans a partir de 5 euros, uma infinidade de blusinhas a partir de €3 e vestidos a partir de €7 -  a H&M muitas vezes expande seu período de rebajas e, nos últimos dias, coloca vários produtos a €1, de acessórios a roupas e sapatos. Também pode-se fazer bons negócios na loja de bijouterias Claire's, que por algumas semanas coloca uma sessão de "5 por 5", ou seja, cinco produtos por cinco euros. A Stradivarius e a Pull and Bear também oferecem oportunidades interessantes, e a Marypaz enche suas prateleiras de sapatos a partir de 3 euros - isso sem falar nas inúmeras lojas menores que também entram na dança.
Não aproveitou as rebajas deste ano?
Agora... só no ano que vem!

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Balconing: a pior moda do verão europeu






O verão europeu sempre lança moda entre os jovens: a nova música que não sai da cabeça, aquela balada em que todo mundo quer ir, a praia hype da estação, as roupas que as meninas ficam loucas por comprar...

Infelizmente, o verão 2010 lançou na Espanha a pior das modas: o balconing. Além de sem sentido, vem se mostrando incrivelmente capaz de ganhar novos adeptos... e cada vez mais fatal.
Para quem ainda não conhece o termo, balconing é o nome que foi dado pra prática alcoólico-esportiva do momento nas Ilhas Baleares (Espanha): nos hotéis dessa região praieira tão adorada pelos estrangeiros, saltar de uma varanda a outra, ou da varanda para a piscina. A idéia, que por si só já é arriscada, piora bastante considerando a situação em que se encontram os praticantes, quase sempre recém-chegados da balada e sob os fortes efeitos do consumo excessivo de álcool e/ou de drogas. Quem não tem coragem para se jogar na piscina participa atirando da sacada os móveis ou eletrônicos do hotel.
Os danos também se expandem às famílias - os pais de um jovem de Portsmouth (Inglaterra) que estava de férias em Maiorca tiveram que fazer uma campanha para arrecadar os €18 mil necessários para levá-lo de volta à casa em um avião com estrutura médica - o infeliz, antes de pular, não pensou no fato de não ter comprado seguro-viagem.
A idéia não é nova - há quem diga que o balconing começou a ser "praticado" há quase dez anos -, mas a dimensão do fenômeno neste ano é impressionante, seja pela quantidade de feridos ou mortos (em 2010 já são 11 falecimentos e aproximadamente 80 feridos graves) ou pelo incrível número de vídeos enviados diariamente ao Youtube - inclusive alguns meios afirmam que está é uma das principais razões do seu sucesso atual. Diz-se que o perfil do praticante é jovem entre 18 e 20 anos, inglês ou alemão, porém os vídeos (e as estatísticas) mostram que muitas outras nacionalidades também aderiram.

Você, que vai pra praia, aproveite muito este verão: abuse dos banhos de mar, saia de festa, faça amigos e paquere muito.
Mas repita comigo: BALCONING? NÃO! 
Não deixe que uma idéia tonta estrague as férias de todos.  

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Tem coisas... que só a Espanha faz por você!

Uma vez encontrei no facebook uma dessas listas tipo "you know you lived in Spain when...", ou seja, aquelas coisas que quase nenhum turista fica sabendo, e que só se conhece quando vivemos de verdade num país - seja por semanas, meses, anos. 
Como as experiências pessoais sempre mudam, resolvi fazer a minha própria lista de spanish facts. E que fique bem claro que isso não é uma crítica: eu vivo aqui e AMO a Espanha de todo o coração.


Mas tem coisas... que só a ESPANHA faz por você!


1) Você aprende que a quantidade de guardanapos no chão de um bar é diretamente proporcional à qualidade do mesmo. E repreende o amigo gringo que o joga dentro do pratinho do pincho.
2) Fazer uma refeição sem vinho é, no mínimo, esquisita. Só se for o café da manhã – e olhe lá!
3) Você acha que é perfeitamente normal colocar azeite na sua torrada matinal. Aliás, em qualquer prato.
4) Comprar vinho é sempre mais barato que Coca-Cola e, definitivamente, mais saudável. Comprar Coca só se for pra misturar com aquele vinho quem vem em Tetra Pak. E você não estranha o fato de se vender vinho em Tetra Pak.
5) Sim, você cogita misturar refrigerante no seu vinho quando ele não é muito bom. Ou quando está calor. Ou quando dá na telha. Aliás, você mistura e acha super normal - inclusive quando os bebedores de cerveja pedem uma "clara" ou uma "caña con limón".
6) Você não estranha quando vê dois filhos de um casal com roupas absolutamente iguais. Mesmo que não sejam gêmeos. Mesmo que não tenham o mesmo tipo físico. Mesmo que nem sejam do mesmo sexo.
7) Você passa a considerar sair mais cedo do trabalho às sextas-feiras um direito constitucional.
8) Você aprende que botellón não é uma garrafa grande. E que a Plaza Mayor é um lugar bem apropriado pra isso. E que a proibição de se beber em locais públicos é meramente teórica.
9) As pessoas te encaram não porque te acharam bonito/feio/magro/gordo/elegante/esquisito, mas por puro esporte. E, em vez de se incomodar, você percebe que começou a encará-las também.
10) Todo lugar passa a ser apropriado para comer sementes de girassol, e todo lugar é mais do que apropriado para jogar suas cascas, seja a rua, o chão de um bar ou o da Plaza Mayor.
11) É perfeitamente normal passar por um bar e comer um pincho antes do almoço ou do jantar, e isso não afeta em nada sua capacidade de mais tarde pedir um menu com dois pratos e sobremesa.
12) Pronunciar frases como “vamos passar o fim de semana em Portugal?” ou “e se compramos aquele vôo de dez euros pra Paris?” não parecem nada absurdas.
13) O que você acha absurdo é que em algumas cidades de Portugal os restaurantes abrem para o jantar só até às 21h – você só tem fome às 22h!
14) Não importa se você gosta ou não de dormir à tarde: a siesta passa a fazer parte da sua rotina quer você queira ou não.
15) Se você vai passar a tarde fora de casa, nada mais normal que levar um chorizo. E um salchichón. E um naco de queijo. E um pouco de pão. E não esquece do vinho!
16) Você sabe que Chema, Luismi, Asun, Pepe e Paco são apelidos – e te parece óbvio de que nomes se originam. E Fuencisla e Inmaculada Concepción parecem nomes comuns de mulheres.
17) Não existem partes nojentas num animal. Tudo é carne e deve ser aproveitado - e ai quem não considerar o prato de jeta uma delicatessen!
18) Corte de cabelo é uma questão de personalidade, e você acha normal que o país pareça repleto de fãs de Tina Turner e Chitãozinho e Xororó no começo da carreira.
19) Você ri dos gringos que não sabem a diferença entre “ser buena” e “estar buena”, “estar echo polvo” e “echar un polvo”, “juerga e jerga”, “pollo” e “polla”, entre outros.
20)Você estranha quando uma pessoa com menos de 25 anos não tem pelo menos um piercing no rosto.
21) É perfeitamemente aceitável utilizar “hombre” para começar uma frase. Mesmo que você esteja falando com sua amiga patricinha.
22) Desaprender um pouco de inglês é essencial e involuntário; e de repente você se pega perguntando se o lugar tem “uífi” em vez de “uaifai”, pedindo uma “hêinequen” ou comentando a morte do "Máikel Jákison".
23) Metade dos estampados em inglês nas camisetas não tem absolutamente nenhum sentido, mas isso não é nenhum problema para que sejam compradas.
24) Churros nunca devem ter recheio. Senão como é que você vai mergulhá-los no chocolate quente??
25) “De puta madre”, definitivamente, nunca é uma ofensa.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Touros na Espanha: o que fazer com eles?

Gostemos ou não, os touros são parte indissociável da cultura espanhola: quase todas as cidades do país os incluem em suas festas municipais, sejam em touradas, encierros (como nas mundialmente conhecidas Sanfermines) ou outras atividades de participação massiva, como os espantes. Mas não é algo que toda a população participe, e muitas vezes nem mesmo aprove: cada dia há mais defensores dos direitos dos animais posicionando-se de maneira contrária a essas atividades. 
Por exemplo, nos últimos meses vem ganhando grande projeção a discussão sobre o tema na Catalunha, que hoje se tornou a segunda comunidade autônoma da Espanha a proibir as corridas de toros, que nós conhecemos como touradas - a primeira foram as Ilhas Canárias, que têm a proibição vigente desde 1991. A decisão catalã, entretanto, tem impacto - afinal, Barcelona tem uma das maiores plazas de toros da Espanha e é uma das cidades mais visitas por turistas no país. Seria o início de uma reviravolta cultural castelhana?

Morando na Espanha, eu já vi touradas em plazas majestosas ou simplonas, fui às Sanfermines em Pamplona e participei de festas em cidades pequenas que incluíam brincadeiras com touros nas ruas. Sinceramente? Apesar de trágico, é um espetáculo muito bonito; mas ainda acho que é a parte menos importante da festa. Prefiro a música, a dança e a diversão tão típicas do spanish way of life que todos conhecemos que adoramos.
Com a devida liberdade de expressão, pra mim a maioria dessas festas é uma praticamente uma micareta - e os touros não fazem nenhuma falta.

Quem quiser pode conferir os detalhes desta votação, que aconteceu nesta manhã no Parlamento Catalão:
http://www.elpais.com/articulo/espana/Cataluna/prohibe/toros/elpepuesp/20100728elpepunac_1/Tes

OBS.: Os ecologistas de plantão que me perdoem mas, pessoalmente, acho que existem no mundo problemas muito mais relevantes - fome, desigualdade, violência de gênero, desemprego - para que haja tanta mobilização em torno desse assunto. Humanos serão sempre mais importantes que animais. 

terça-feira, 6 de julho de 2010

E começam as San Fermines!



É dada a largada da festa mais internacional da Espanha!O dia do santo é amanhã, mas as San Fermines tiveram seu início ao meio dia de hoje, com o lançamento de fogos na tradicionalmente superlotada Plaza del Ayuntamiento de Pamplona, em Navarra (norte do país).
Este ano não estarei por lá (mas já estive, como contei aqui), mas deixo registrada a programação pra quem quiser se inteirar de todas as atividades - que vão muito além dos famosos encierros pelas ruas de Pamplona (que esse ano terão até versão em 3D!).


Agora é só vestir sua roupa branca e vermelha e clicar aqui: http://www.sanfermin.com/index.php/es/sf10/programa

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Cenas de uma Copa do Mundo - na Espanha

Aonde quer que você vá... o clima da Copa te contagia!

Aqui na Espanha podemos escolher entre ver o jogo em bares tranquilos, com gente que não está tão interessada nos jogos,

em bares cheios de fãs de "la Roja"
ou da nossa seleção canarinho mesmo.
Mas o melhor é aproveitar a muvuca animada de praças que tem telão e reúnem uma quantidade incrível de gente
(aqui em Salamanca, uma das de maior sucesso é uma grande jogada do onipresente El Corte Inglés).
Um pavilhão de barraquinhas de bebidas e pinchos garante a alimentação dos famintos,
e também o suprimento de chapéus, bandeiras e bugigangas pra torcer com mais vontade (mas muitos já trazem a vuvuzela de casa mesmo).
Gente de todas as idades aparece por lá,
e o tiozinho da cerveja à pressão garante o fornecimento de geladinhas pra quem não quer se mover pra não perder nenhum lance.
Gol! Percussão, cantoria e muito ânimo na galera!
Fim do jogo: vitória, alegria, música, sorrisos!


Agora... bora comer umas tapas?

sábado, 19 de junho de 2010

“No pregunte el precio: todo a dos euros”


Assim de direta se apresenta a nova moda pós-crise na Espanha: lojas que vendem (quase) tudo por dois euros. Mas nem queira estabelecer comparação com as nossas lojas de 1,99: nas européias não há nada de panelas, tupperware ou qualquer coisa do tipo, mas sim bijouterias, bolsas, echarpes e inúmeras outras traquitandas que deixam louquinhas a 99% das mulheres do mundo. E traquitandas lindas, lindas, lindas!

E se você pensa: “dois euros?” Pois é, acredite: épocas de crise econômica obrigam o comércio a se reinventar e fazem com que, gastando pouco mais do que com um café, possamos comprar brincos, colares e anéis iguaizinhos aos de algumas grifes e até bolsas de festa e óculos de sol. Presente em todas as lojas, um cantinho reservado às gravatas garante que o namorado/marido não fique com ciúme. A única exceção são alguns sapatos, a €6, e as bolsas de maior tamanho, por €10.

Em Salamanca, por enquanto há três: na Avenida de Mirat e na Calle María Auxiliadora, em pleno centro da cidade, e na Plaza de la Fuente. Aproveite: pelo visto essa moda veio pra ficar! ;)

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Um verdadeiro Circo Voador

Meio-dia de uma segunda-feira de uma primavera quente, quase verão. Um grupo de pessoas está parado observando uma cena inusitada: há duas mulheres encarapitadas no topo de uma estrutura metálica de metros e metro de altura, contorcendo-se em todas as direções para terminar de montar esse enorme quebra-cabeça de ferro, sem nenhuma dificuldade aparente. É impossível não olhá-las, ainda que elas sigam entretidas na sua atividade e pareçam nem notar a gente que começa a amontoar-se por ali. E isso tudo no meio da Plaza Mayor de Salamanca.

O resultado se vê dois dias depois: por duas noites seguidas, os chilenos da Compañía de Paso lotam a mesma plaza de espectadores de olhos embevecidos com seus giros e acrobacias em seis trapézios que descem daquela estrutura metálica montada. Outros quatro artistas se unem àquelas duas mulheres, constituindo assim o grupo que apresenta o espetáculo circense contemporâneo “Um horizonte cuadrado”, que é realizado totalmente suspenso no ar, sem que os participantes desçam ao solo em nenhum momento. Apenas uma base acolchoada protege de uma queda os integrantes, que se movem vigorosamente entre as cordas, sem que o esforço lhes faça perder o sorriso aberto de quem ama o que faz.

Para completar, a atuação desde teatro-circo é embalada por uma trilha sonora original, executada ao vivo pelos três músicos que acompanham ao grupo.

Entre olhares encantados e (muitos) aplausos, a noite passa rápido. E até a Plaza Mayor diminui suas luzes para ressaltar o brilho desses adoráveis loucos.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Festival Internacional de las Artes de Castilla y León 2010

Show na Plaza Mayor durante o FÁCYL 2009

E vem aí mais uma edição do
FÁCYL!
Em sua sexta edição, o Festival Internacional de las Artes de Castilla y León promete mais uma vez transbordar de cultura as ruas da cidade espanhola de Salamanca. De 30 de maio a 12 de junho, uma série de atividades diárias irá movimentar a rotina de quem passa por aqui.
E é impossível não encontrar atividades que te interessem: há peças de teatro, musicais, apresentações de dança, shows, circo contemporâneo, instalações artísticas, intervenções urbanas, teatro de rua, exposições, oficinas de arte, encontros com personalidades do mundo artístico e muito mais.
O interessante é que participam artistas do mundo inteiro, incluindo a coreógrafa brasileira Lia Rodrigues.
Veja a programação do evento em www.facyl-festival.com.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Feira do livro também pode ser show


Recentemente aconteceu aqui a 30ª Feria Municipal del Libro de Salamanca. Além da exposição e venda de livros a preços promocionais, uma série de atividades povou a semana do evento, inclui tardes de autógrafos, palestras com autores, espetáculos infantis e até mesmo apresentações musicais, sempre com muita qualidade - e reunindo público até mesmo em noites de chuva.
Um dos melhores shows da feira foi o do grupo argentino Fabián Carbone Tango Ensemble, que encheram de encanto portenho os ouvidos do público em uma sexta-feira à noite. Programaço!

terça-feira, 25 de maio de 2010

Crônica Salmantina


- Como assim você não vai entrar?

O tiozinho da bilheteria parecia inconformado. Eu, que já tinha passado seis meses morando na Espanha e tinha decidido voltar a viver em Salamanca, estava em contenção de despesas e pensando seriamente em economizar os euritos da entrada do Convento de San Esteban. O homem insistia:

- E vai deixar ele entrar sozinho?

Era meu irmão, que tinha vindo do Brasil passar duas semanas comigo, e me encarou como dizendo “você é quem sabe”. Eu já tinha visitado o convento dois anos antes, e tinha adorado; sou fã incondicional de museus e outros lugares com uma boa história por detrás. Mas tinha me demitido do meu trabalho no Brasil e passado um mês na Itália, o que obstruía um pouco as finanças. E estava morrendo de vontade de no fim do dia tomar um vinho com pincho em um dos bares da calle Van Dyck. Aquele era um dia de pouco movimiento e, com seu olhar inocente, o porteiro continuou:

- Pode entrar com ele, não tem problema.

Opa, grátis? Fui.

E como valia a pena revisitar aquele lugar. Depois de mais de cem anos sendo construido, em 1630 Salamanca ganhou o atual edificio do Convento de San Esteban, no local onde no século XIII os dominicanos tinham se instalado na cidade, e onde Cristóvão Colombo foi pedir a ajuda dos frades para conseguir financiamento para sua viagem às Índias. Era começo de tarde, e o edificio estava quase dourado quando tocado pela luz do sol.

Entramos.

Começamos pela minha parte preferida, o Claustro de los Reyes, e outra vez adorei ver o céu de dentro daquela construção gótico-renascentista, assim como buscar uma a uma as expressões nas gárgulas e outros seres semi-assustadores esculpidos nas paredes, teoricamente para afastar os maus espíritos. E prosseguimos esquadrinhando cada centímetro daquele patrimônio histórico. Como não querer entrar sala por sala vendo as exposições? Como não se deslumbrar com o brilho do altar daquela igreja?

Ao final da visita, dediquei o sonriso mais sincero para aquele senhor da entrada. Graças a ele, eu tinha ganhado a tarde.

terça-feira, 4 de maio de 2010

Onde ir e onde não ir em San Sebastián

Recentemente estive em San Sebastián (ou Donostia, seu nome basco), e voltei com uma lista involuntária de "dos and don'ts" que acho que vale a pena compartilhar aqui no blog.

Localizada no norte da Espanha, pertencente à província de Guipuzkoa, no País Basco espanhol, a cidade é famosa por suas praias e seus pintxos, aquelas comidinhas que acompanham as bebidas nos bares espanhóis. Também é conhecida por ser uma cidade cara: enquanto em cidades como Madrid é possível tomar uma taça de vinho e uma comidinha por menos de dois euros, somente o pintxo (sem bebida) em San Sebastián custa, no mínimo, €1,70 em qualquer bar simples – e pode chegar até €4,00 em bares hypados.

Muita gente diz que vale a pena – realmente há pintxos super elaborados, coloridos e lindos, incluindo queijos renomados e canapés de frutos do mar. Na minha opinião, depende, porque parece que alguns bares perderam um pouco o critério: muitas vezes um mísero sanduichinho de jamón ou uma torradinha com um chorizo custam muito mais do que em qualquer outra cidade espanhola que eu conheça.

Além disso, quando sair de tapas em Donostia, cuidado: nacionalistas que são, muitos bascos não são muito fãs dos gringos que visitam a cidade – e, como em todo o país, praticamente nunca há cardápios de bebidas nos bares, somente de comidas. Por isso, se você notar grande diferença no valor cobrado em um bar e em outro, pode não ser só impressão: o garçom pode, sim, estar te sacaneando. Por exemplo: uma dose de vinho jovem (ali normalmente não se serve vinho em taças mas sim em copos altos e de boca larga, como os de sidra) custava, normalmente, €0,50, mas em alguns bares saía pelo dobro, 1 euro. Em um bar, o garçom descaradamente cobrou de mim 1 euro, enquanto o basco que tomou um vinho a meu lado pagou €0,40, menos da metade. Eu, que nunca tinha me sentido vítima de preconceito, saí dali meio chateada – e guardei o nome do lugar pra nunca mais entrar.

E isso pedindo em castelhano alto e claro – imagina se fosse em inglês...

Ainda assim, a cidade é realmente um encanto com suas lindas praias, suas ruas de pedra e grande agito noturno, e tem muitos estabelecimentos que se destacam pela combinação bons produtos + gente simpática.

Alguns exemplos são o bar Gorriti (com pintxos deliciosos), o bar-restaurante Izkiña (um dos únicos que coloca o preço de todas as bebidas à vista dos clientes) e a lanchonete Koskol (que oferece sanduíches imensos a partir de 3 euros). Fuja de lugares como o Bartolo (caríssimo e com pintxos de uma falta de sabor frustrante) e o Kukurruku (autor da sacanagem com esta blogueira).


Bar Gorriti: calle San Juan, 3 (tel. 00 34 943428353)

Restaurante Izkiña: calle Fermín Calbeton, 4 (tel. 00 34 943422562)

Koskol: calle Iñigo, 5

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Hype + Cool Magazine


Galera, a partir deste mês de março a blogueira que vos escreve passou a integrar a equipe de um revista eletrônica de turismo, a Hype + Cool Magazine.
Ali vocês poderão encontrar informações atualizadíssimas sobre o que há de mais cool em viagens e tudo que é tendência ao redor do mundo, desde hotéis hypados, restaurantes e bares que vale a pena conhecer e muito muito mais!