terça-feira, 14 de julho de 2009

Comunicação universal

Uma das partes mais interessantes de viver em outro país é nos submetermos a uma imersão em outra língua e outra cultura que, além de nos oferecer o contato com outras paisagens e cardápios, permite aprimorar habilidades linguísticas e nos abre os olhos para diverentes maneiras de pensar, comportar-se, agir... enfim, de viver.
É interessante que tenho amigos que tem receio de viajar a outros países por não terem domínio total de outra língua, que faz com que tenham medo de se verem obrigados a enfrentar problemas que não saibam resolver ou até mesmo de se sentirem sozinhos pela dificuldade de se comunicar com outras pessoas.
E eu sempre digo: vá. Viaje. Mesmo que você tenha um ou outro percalço, sempre vai dar tudo certo.
E outro dia presenciei uma cena que me fez ter certeza disso: na Espanha, em um grupo de amigos totalmente heterogêneo em idades e nacionalidades, que incluía desde um búlgaro a uma alemã, um britânico começou a conversar com duas meninas italianas. Detalhe: nenhum deles tinha mais do que meras noções da língua do outro, e no começo a conversa ia lentamente, em um ameaço de espanhol, com pausas e tentativas de explicações; mas, dois minutos depois, o spanglish fluiu e a conversa animada passou a incluir todo o resto do grupo.
Por quê? Porque a comunicação é universal. Quando um emissor quer compartilhar uma mensagem, e um receptor quer ouvir, não há barreiras linguísticas, geográficas ou comportamentais que não podem ser superadas.

3 comentários:

Michel disse...

Oi Bá!! Muito legal mesmo teu texto, concordo com tudo e assino embaixo!! Podem existir "perregues" em enfrentar esses desafios, mas felizmente são poucos os países onde as pessoas não tentam te entender e te ajudar. Ontem mesmo sai com um grupo de 6 amigos: 2 brasileiros, 1 italiana e 3 suíços.. era português, italiano, inglês e alemão pra la e pra cá.. uma bagunça!! Um dos gringos fala so alemão e ai só umas cervejas pra conseguir ter algum tipo de comunicação :D
PAZ! Michel

Bá Conti disse...

É assim mesmo, Michel: de um jeito ou de outro, a gente sempre se entende!!

Um abraço,

Carol Wieser disse...

Vixi, se fosse depender de falar TODAS as linguas para podermos viajar, acho que a gente nunca saia do nosso pais, não???

Como você disse, a gente se vira, falando, gesticulando, desenhando... hehehe. Mas se entendem. Viajei pra Los Roques agora e era uma arranhação de Portunhol, Englismhol, Portuglish....

Beijos